Archive for janeiro \29\UTC 2016

Bolinho de batata doce e legumes

Ingredientes

  • 600g. de batata doce
  • 1 abobrinha italiana ralada
  • 1 cenoura grande ralada
  • 2 colheres (sopa) de polvilho doce
  • 2 colheres (sopa) de flocos de guinoa
  • 2 colheres (sopa) de chia hidratada
  • 2 colheres (sopa) de gergelim
  • 2 colheres (sopa) de azeite de oliva
  • Uma pitada de noz-moscada
  • Sal, pimenta-do-reino, alecrim, orégano, cheiro verde a gosto

bolinho de batata doce

Modo de fazer

 

Num copo coloque a chia para hidratar em ¹/4 de água por 30 minutos. Cozinhe a batata e amasse. Deixe esfriar. Em seguida, numa bacia, misture tudo até a massa ficar homogênea. Faça os bolinhos. Coloque em uma forma untada. Leve ao forno quente 180ºC por 40 minutos. Substitui um bife no almoço, pode servir no lanche. Bon appétit!! Humm…tudo de gostoso!!

A chia baixa o índice glicêmico da batata doce.

Receita/foto: Lucelena Melo

Se quiser compartilhar ou publicar, linque diretamente a receita original, mencionando os créditos de criação. Obrigada!!

 

Sal Aromatizado

Dica super legal e saudável para diminuir o sal da comida e manter o paladar  e sabor dos alimentos.

SAL AROMATIZADO

Fonte: dicas de saúde e boa forma da Schraiber.

 

Dicas para horta caseira

As melhores dicas para fazer sua horta em casa!!

Aproveite bem e cuide melhor de sua alimentação em 2016.

Lembre-se: “Teu alimento, é teu medicamento”.

calendario de plantação

Fonte: http://www.tudoporemail.com.br/

 

10 substitutos para o leite de vaca.

Compartilho com vocês essa, excelente, matéria de Juliana Carreiro, publicada no Estadão, blog Comida de Verdade sobe o leite animal e receitas de leites vegetais. Bom proveito!!

Leite vegtalA imagem de uma mãe amamentando o seu bebê sempre nos faz pensar em saúde, certo? O leite, então, ganha um status de alimento completo, saudável e indispensável à nossa dieta. Porém, temos que tomar muito cuidado para não confundirmos o leite materno com os de outras espécies, como os de vaca, de cabra, de ovelha ou de búfala, por exemplo.  A composição deles é muito diferente. Enquanto o primeiro é, de fato, o alimento mais completo que existe, os outros podem ser os causadores de diversos problemas de saúde para nós, seres humanos. O alimento produzido pela vaca é feito para os animais da sua espécie, os bezerros. Eles sim possuem todas as condições necessárias para o seu aproveitamento. Nós não temos a quantidade de enzimas suficiente para “quebrar” todas as proteínas presentes nos laticínios, que possibilitariam a sua correta absorção e utilização.

Atenção, estou falando sobre as proteínas do leite de vaca, em especial a betalactoglobulina, que provocam essa hipersensibilidade na maioria das pessoas. Hoje tem se comercializado algumas linhas de produtos derivados do leite sem lactose. Eles irão amenizar apenas os sintomas relacionados à intolerância à lactose, que é o açúcar do leite, que normalmente causa desconfortos intestinais. E essas mesmas pessoas também têm problemas para digerir as proteínas do leite. Nesse caso, estes produtos sem lactose não trarão nenhum benefício.

Assim como acontece com o glúten, o acúmulo destas proteínas mal digeridas pode provocar processos inflamatórios que vão resultar em diversos sintomas adversos no organismo. É difícil associar este consumo às suas consequências, pois elas não aparecem logo após a ingestão dos alimentos e porque atingem órgãos muito diferentes, que variam de pessoa para pessoa, de acordo com as predisposições genéticas.  A inflamação pode se instalar no sistema respiratório causando rinite, bronquite, sinusite ou asma.  Pode afetar o sistema nervoso central, gerando ansiedade, irritabilidade e depressão, ou pode até mesmo atingir a pele, causando dermatite. Esses são só alguns exemplos, dentre muitos outros. Quase sempre os sintomas são tratados separadamente por profissionais das áreas específicas. Dessa forma, podem ser amenizados, mas como a causa continua agindo no organismo, ou o sintoma volta ou pode se manifestar em outro órgão.

Este assunto, que hoje pode estar na moda, entrou na minha vida vinte anos atrás. Minha mãe consultou um amigo nutrólogo para ajudar o meu irmão, que na época tinha nove anos e sofria de rinite e bronquite crônicas. A recomendação a assustou: tirar o leite da vida de uma criança? A resposta foi buscada nos livros, mas só foi encontrada em referências editoriais de fora do País. O jeito era testar pra ver no que dava. Um mês depois de retirá-lo completamente das nossas rotinas, a dúvida foi desfeita. A rinite e a bronquite, enfim, sumiram. Eu, que sofria de otite e amidalite, também vi esses problemas desaparecerem. Por que, então, voltar a consumi-lo frequentemente? Não o fizemos até hoje. De lá pra cá, testamos diversas receitas com substitutos e funcionou. Naquela época era muito difícil encontrar alguma opção pronta para vender. Hoje não faltam receitas de leites vegetais na internet e eles têm ocupado cada mais vez mais espaço em supermercados e lojas especializadas em produtos naturais. Todos os itens que serão listados abaixo são mais nutritivos e benéficos para a nossa saúde do que o leite de vaca.

01 Leite de inhame – é o mais barato entre os leites vegetais, para fazer em casa é muito simples, basta ferver um inhame médio durante dois minutos, jogar a água fora e bater no liquidificador com 100ml de água filtrada. Ele pode ser usado em diversas preparações doces e salgadas, ou batido com frutas ou cacau e tomado em forma de vitamina.

02 Leite de arroz – é o mais encontrado nos supermercados e nas lojas especializadas e substitui bem o leite em sua forma pura, por exemplo, para ser tomado no café da manhã com cacau ou café.

03 Leite de aveia – assim como o leite de arroz, tem sido comercializado cada vez mais pelos supermercados e lojas especializadas. Pode ser consumido com café, cacau, batido com frutas ou em preparações.

04 Leite de oleaginosas como avelãs, amêndoas, castanhas – são encontrados em lojas especializadas, mas também podem ser feitos facilmente em casa, são ótimos para receitas doces.

05 Leite de quinoa –  é considerado um alimento completo pela Organização Mundial da Saúde, pois é composto por todos os nutrientes necessários ao nosso organismo. Pode ser encontrado em pó, pronto para consumo, ou pode ser feito em casa. duas colheres de sopa do grão, 200ml de água

06 Leite de amaranto – tem as mesmas características nutricionais da quinoa e também pode ser facilmente feito em casa.

07 Leite de coco – é o mais fácil de ser encontrado e substitui muito bem o leite em receitas de bolo, por exemplo.

08 Chás e sucos de frutas – podem ocupar o lugar do leite nos lanches e cafés da manhã ou nas receitas de tortas e bolo, por exemplo.

09 Água – pode ser usada em várias receitas que levariam leite.

10 Fórmulas infantis hidrolisadas – são indicadas para crianças com menos de 2 anos, quando não for possível amamentá-las, mas é importante consultar um especialista para saber qual delas é a mais indicada para o seu filho, pois existem vários tipos no mercado, com diferentes graus de hidrolisação, ou seja, de quebra das proteínas que não conseguimos digerir.

Texto: JULIANA CARREIRO – estadão, blog Comida de verdade

http://vida-estilo.estadao.com.br/blogs/comida-de-verdade/10-substitutos-para-o-leite-de-vaca

 

Dicas legais pós-festa

A Nutricionista, Carla Cotta, dá dicas legais pós-festa: Couve, alecrim e alimentos integrais são os melhores para desintoxicar.

No café da manhã aposte em sucos verdes, de preferência com couve ou em bebidas de frutas batidas com gengibre. Vitamina de banana com água de coco e coco ralado também é uma boa pedida.

A couve ajuda o fígado na desintoxicação do organismo, as frutas presentes nos sucos ou consumidas separadamente proporcionam energia e mantém a taxa de açúcar no sangue estável, já que muitas vezes ela pode estar em queda diante de uma ressaca.

No almoço inclua na salada verde brócolis, couve-flor e/ou repolho para auxiliar o metabolismo a se desintoxicar do álcool. Tempere com alecrim, que é anti-inflamtório, vinagre de maçã ou azeite com gengibre.  E sirva com arroz integral!

SALADA

As saladas são essenciais no pós-festa!!!

No lanche bananas desidratadas são excelente opções para este momento. Elas são fontes de energia e potássio, que pode ajudar a melhorar o “torpor após ressaca”. Oleaginosas, como castanhas do Pará ou nozes. Ambos têm gordura boa e antioxidantes com frutas frescas ou secas.

No jantar prefira uma salada ou uma sopa fria de legumes.

Para finalizar durante todo dia, não esqueça da água. Tome de oito a dez copos e mais dois de água de coco e complemente com chá de cavalinha com gengibre para desinchar.
Fonte: http://ela.oglobo.globo.com/vida/dieta

Salada de Romã, Peras e Roquefort

A cresça diz que a ROMÃ traz sorte, prosperidade, dinheiro, fartura, fertilidade e tranquilidade…então confere receita de uma salada que vale por uma refeição completa pelo seu alto teor de proteína – simplesmente deliciosa!!! Bon Appétit!! Boa Sorte!

Benefícios: rica em antioxidantes, combate os radicais livres, responsáveis pelo envelhecimento precoce. Ela também melhora a cicatrização, protege de constipações e auxilia na digestão

romã-certo

salada-de-romã-certa

Ingredientes

  • 5 xícaras (chá) de vegetais pequenos variados
  • ½ cebola roxa picadinha
  • 2 peras
  • 2 colheres (sopa) cheias de aipo picado
  • ½ xícara (chá) de grãos de romã
  • 30 g de nozes  grelhadas e picadas grosseiramente
  • 50 g de queijo roquefort
  • 100 g de ricota fresca

Para o molho
10 ml de azeite, suco de meio limão, mostarda, sal e pimenta-do-reino

Modo de fazer

Em uma saladeira, rasgue as folhas dos vegetais (agrião baby, broto de beterraba, alface roxa, radicchio e alface frisée) e misture-as com a cebola roxa. Reserve.
Corte as peras em fatias finas e coloque-as em água com limão para não escurecerem. Reserve.

Amasse a ricota com o queijo roquefort até obter uma textura pastosa. Em uma superfície plana, faça rolinhos com a massa, como se estivesse enrolando nhoque. Leve ao congelador para endurecer.

Para o molho
Junte todos os ingredientes e misture bem. Se achar necessário, acrescente água filtrada.

Fonte: dietaja.uol.com.br